1800 bombeiros passaram a noite a combater chamas em todo o país

É um inferno para populações e bombeiros. Os incêndios sucedem-se e até deflagram durante a noite, como aconteceu agora em Ferreira do Zêzere. Há presidentes de Câmara que falam em “terrorismo”.

Sexta-feira foi o dia deste ano em que Portugal registou mais incêndios, num total de 220 ocorrências, das quais 60 apenas no distrito do Porto, diz a Autoridade Nacional de Protecção Civil.
No primeiro ‘briefing’ do dia, a adjunta de operações da ANPC, Patrícia Gaspar, revelou que estão neste momento dez incêndios em curso, com o fogo em Abrantes, distrito de Santarém, a continuar a preocupar as autoridades, depois de no final da tarde de sexta-feira ter estabilizado, antes de o cenário se agravar.
Das 220 ocorrências registadas na sexta-feira, um novo máximo diário, os operacionais conseguiram dominar grande parte.
Quase 1.800 operacionais estiveram durante a noite passada no combate a seis grandes incêndios em cinco distritos, Santarém, Leiria, Coimbra, Aveiro e Viana do Castelo, dos quais dois estão já em fase de resolução, segundo os dados da Protecção Civil.
No concelho de Abrantes, distrito de Santarém, o fogo, que deflagrou na quarta-feira, continuava a mobilizar o maior número de meios, contando com 639 operacionais, apoiados por 212 viaturas, no combate a uma frente em povoamento florestal, segundo o ‘site’ da Autoridade Nacional de Protecção Civil.
No mesmo distrito, no concelho de Ferreira do Zêzere, um incêndio, com duas frentes em povoamento florestal, que deflagrou já na noite de sexta-feira para sábado, mobilizou 136 operacionais, apoiados por 39 meios terrestres, pelas 05:00 da manhã.
O incêndio no concelho de Alvaiázere, distrito de Leiria, activo desde o final da tarde de sexta-feira e com quatro frentes em povoamento florestal, era combatido, pela mesma hora, por 293 operacionais e 95 viaturas.
No concelho de Cantanhede, distrito de Coimbra, o fogo, que deflagrou ao início da tarde de sexta-feira, era combatido por 314 operacionais, apoiados por 92 viaturas, numa frente em povoamento florestal.
O combate às chamas na zona de Portunhos estava a evoluir favoravelmente ao início da madrugada, disse à Lusa o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.
Outros dois incêndios referenciados pela Protecção Civil como ocorrências importantes foram, entretanto, dado como dominados durante a madrugada.
O incêndio florestal que deflagrou na quinta-feira no concelho da Mealhada e que depois de estar dominado se reacendeu na sexta-feira entrou em fase de resolução, mas mantinha, pelas 05:00, um total de 321 operacionais e 82 viaturas no terreno.
Em Monção, distrito de Viana do Castelo, onde o fogo, que deflagrou na tarde de sexta-feira, também entrou em fase de resolução, estavam 65 homens, apoiados por 21 meios terrestres.

Veja também Mais do autor

Deixe um comentário

banner