Ai abrandas, abrandas!

Novo sistema substitui lombas e obriga carros a reduzir velocidade mesmo contra a vontade do condutor. Além de produzir eletricidade

Andar em excesso de velocidade nas cidades deixará de ser uma opção, como atualmente, e passará a ser uma obrigação a que nenhum condutor conseguirá fugir. Basta que seja instalado nas ruas das vilas e cidades um sistema criado pelo investigador Francisco Duarte, da Faculdade de Ciências e  Tecnologia da Universidade de Coimbra.

O Pavnext (Pavement Energy Efficient Extractor na designação inglesa) é uma espécie de tapete instalado no pavimento ao longo de 40 metros que obriga as viaturas a reduzirem a velocidade, mesmo que os condutores não o desejem, através da extração de energia ao movimento produzido pelo carro.

Nas quatro dezenas de metros do tapete, as viaturas sofrem uma redução de velocidade através da atração produzida sobre o automóvel, de acordo com Francisco Duarte, que desenvolveu este projeto no âmbito do seu doutoramento

A outra grande vantagem é que a energia produzida pela velocidade dos veículos é transformada em eletricidade e usada localmente em sistemas de iluminação ou semáforos, por exemplo, ou lançada na rede.

Só os carros em velocidade excessiva será alvo do equipamento

O sistema é programado para só agir sobre carros que circulem acima da velocidade estabelecida e é particularmente recomendado para ser colocado antes das passadeiras, proximidade de escolas e noutros locais onde os automobilistas insistem em ignorar os limites de velocidade dentro das localidades, onde a velocidade máxima são 50 km/hora.

Quem circular à velocidade recomendada não dará pelo equipamento. Os outros sentirão apenas um ligeiro estremecer da viatura. O equipamento é ainda apontado como vantajoso em relação às lombas, das quais os automobilistas se queixam por causarem desconforto aos passageiros e danificarem as suspensões, quando passam em velocidade excessiva.

O Pavnext permite ainda recolher dados sobre o tráfego como o número e tipo de veículos que passa no local e a velocidade a que circulam entre outros elementos.

Deverá ser testado pela primeira vez nas ruas de Cascais.

O invento tem vindo a colecionar prémios desde que foi apresentado, o último dos quais aconteceu já esta semana e foi a edição de 2017 do BIG Smart Cities, onde venceu os restantes 19 finalistas. Vai receber 10 mil euros, para além da possibilidade de poder usar os meios disponíveis no Vodafone Power Lab durante seis meses.

O BIG Smart Cities by Vodafone Power Lab e Ericsson é uma competição de empreendedorismo que premeia ideias de base tecnológica que melhorem a vida das pessoas.

Depois de vários anos consecutivos na redução do número de mortos devido à sinistralidade nas estradas portuguesas, neste ano a mortalidade voltou a crescer nos primeiros sete meses do ano, com um total de 237 mortos nos primeiros sete meses, mais 44 mortos que em igual período de 2016.

 

 

Veja também Mais do autor

Deixe um comentário

banner