Autárquicas, PSD tem duas listas em Viana do Castelo

O PSD não podia estar mais dividido, em Viana do Castelo. O tribunal da comarca recebeu duas listas de candidatos à Assembleia Municipal apresentadas por diferentes facções do mesmo partido.
Uma das listas, apresentada pelo candidato do partido à Câmara de Viana do Castelo, homologada pelos órgãos nacionais e aprovada pela comissão política distrital, é encabeçada por Eduardo Viana, ex-secretário de Estado Secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade do anterior governo PSD/CDS e actual deputado municipal.
A outra é liderada pelo presidente da comissão política concelhia e actual vereador na Câmara de Viana do Castelo e ex-deputado na Assembleia da República, Eduardo Teixeira.
Cabe ao tribunal, onde decorreu hoje o sorteio das listas, decidir qual das duas vai validar.
No final da sessão de hoje, o juiz que presidiu ao sorteio da ordem das listas no boletim de voto afirmou que “a partir de hoje decorrerá um prazo de cinco dias para apresentação de reclamações ou exposições, nos termos previstos na lei”.
Presente no tribunal, o presidente da comissão política distrital do PSD, Carlos Morais Vieira, afirmou que, “no prazo legalmente definido, o partido irá fazer a devida reclamação”.
“A única lista legalmente entregue, com todos os documentos anexos, é a encabeçada por Eduardo Viana”, sustentou.
Em comunicado, publicado hoje na sua página oficial na rede social Facebook, a comissão política concelhia justificou a apresentação da lista liderada por Eduardo Teixeira com a necessidade de “repor a legalidade” no processo autárquico do concelho.
Aquela estrutura partidária acusa o órgão distrital de “não cumprir uma deliberação do Conselho de Jurisdição Nacional do PSD, de 24 de Julho de reunir, urgentemente, o plenário de militantes de modo a sufragar as listas candidatadas às autarquias locais de Viana do Castelo”.
A concelhia social-democrata acrescenta que, “a ser verdade, a eventual existência de uma lista de candidatura não aprovada por nenhum órgão do partido, afigura-se como mais um ato de usurpação de competências e de incumprimento estatutário de um acórdão nacional e que apenas visa a contínua vontade em semear a discórdia em favor de interesses contrários aos dos vianenses”.
Esta disputa arrasta-se desde Abril, quando os órgãos concelhios e distritais do PSD entraram em conflito.

Veja também Mais do autor

Deixe um comentário

banner