Vila D’Este quer um posto dos CTT

Reformados têm grande dificuldade em se deslocar para receber as pensões

A Associação dos Proprietários da Urbanização de Vila D’Este, Vila Nova de Gaia, enviou à Assembleia da República uma petição na qual pede que seja reaberto um posto de correios numa zona que tem mais de 17.000 cidadãos residentes.
O posto de CTT deixou de funcionar há cerca de, e a população mais idosa tem sérias dificuldades, quer financeiras quer de locomoção, para apanhar dois autocarros para ir ao posto mais próximo para, entre outros assuntos, levantar as suas pensões, por exemplo.
A Associação dos Proprietários da Urbanização de Vila D’Este diz que já contactou os CTT, mas até ao momento as reivindicações não foram ouvidas.
No comunicado que dá nota do envio da petição para a Assembleia da República, a associação diz estar disponível para fazer uma “concessão de espaço”, instalar um “balcão de atendimento” e afectar recursos humanos que garantirão a operacionalidade do posto todos os dias úteis, entre as 09:00 e as 13:00 e entre as 15:00 e as 19:00.
“Temos uma associação aberta e pessoal disponível para fazer o atendimento. Do ponto de vista físico temos tudo. Precisaríamos é de alguma formação. A associação até fica num ponto estratégico de Vila D’Este, porque fica no cimo do empreendimento perto dos serviços sociais da câmara e do hospital”, descreveu Maria Preciosa Cunha.
Para a associação, “a ausência de um serviço essencial a uma população constituída por mais de 17.000 cidadãos residentes é intolerável”.
No texto é apontado que as estações de correio mais próximas da população de Vila d’Este, freguesia de Vilar do Andorinho, são as que se situam na freguesia de Canelas, de Avintes, de Valadares e, ainda, os postos localizados ao Jardim de Soares dos Reis e no Gaia-Shopping, as quais distam, diz a associação, entre seis e dez quilómetros da urbanização.

Veja também Mais do autor

Deixe um comentário

banner